Consórcio ou financiamento?

Consórcio ou financiamento?
20 de fevereiro de 2019 Meirelles Milare

As vantagens e desvantagens de fazer um consórcio ou financiamento são dúvidas frequentes dos consumidores e investidores de imóveis. Como funcionam os valores pagos em um consórcio? E quais os custos de um financiamento?

Principais diferenças e os riscos de cada modalidade

Primeiro, é importante entender a definição de cada uma:

Consórcio

Consórcio é uma modalidade de compra de bens móveis, imóveis ou de serviços, em que um grupo de pessoas é formado para estabelecer prazos e valores que cada um dos participantes deve pagar em parcelas mensais, juntando assim os recursos suficientes para adquirir o item desejado.

Este grupo de consorciados tem encontros periódicos, as chamadas assembleias, para que um ou mais participantes sejam sorteados para receber o valor acordado no contrato do bem consorciado.

Empresa administradora

Para existir um grupo de consórcio, é necessário que tenha uma empresa administradora, responsável por definir o tipo de objeto que será adquirido, a quantidade de cotas que serão comercializadas, além da taxa de administração que será cobrada e o prazo de duração do grupo.

Cota mensal e taxa

Nos consórcios não existe o pagamento de juros para a administradora. O valor da cota mensal é definido com base no valor do bem, no prazo e na taxa de administração.

Importante ressaltar que nesta modalidade, o bem desejado só poderá ser adquirido quando o consorciado for sorteado. Ou seja, se você tem pressa na aquisição do seu bem, talvez esta não seja a melhor opção.

Financiamento

O financiamento nada mais é que um empréstimo financeiro realizado para adquirir um bem.

O financiamento ocorre quando uma instituição financeira libera a utilização de um determinado crédito, e a pessoa que solicitou o valor deve quitá-lo em parcelas periódicas, correspondentes ao valor total emprestado, mais acréscimo de algumas taxas e juros.

FGTS

O financiamento de imóvel é bastante comum, e tem características e regras específicas. O comprador pode utilizar o saldo do fundo de garantia (FGTS) para abater parte da dívida do financiamento, por exemplo.

Vencimento e juros

Quando você faz um financiamento é importante estar atento para a data de vencimento das parcelas, além dos juros já cobrados sobre o valor financiado e a incidência de juros caso você atrase o pagamento da parcela.